Covid-19: Vacina de Oxford poderá ser aplicada no Brasil já em dezembro, diz Ministério da Saúde

Compartilhe Essa notícia

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on twitter
Share on email

Secretário de Vigilância em Saúde do ministério, Arnaldo Correia de Medeiros, espera que 15 milhões de brasileiros sejam vacinados contra o coronavírus até o final do ano

vacina contra o novo coronavírus que está sendo desenvolvida pela Universidade de Oxford deve chegar ao Brasil na primeira quinzena de dezembro. A informação foi dada ontem pelo secretário de Vigilância em Saúde do Ministério da Saúde, Arnaldo Correia de Medeiros. O Brasil já encomendou 100 milhões de doses da vacina contra a COVID-19 e o secretário espera que 15 milhões de brasileiros possam ser vacinados até o final deste ano.

Em entrevista à CNN Brasil, o secretário explicou que caso os testes e pesquisas sobre a eficácia do medicamento sejam aprovados até dezembro, os brasileiros poderão começar a ser vacinados. O envio das doses da vacina será divido em três lotes: “O primeiro lote deve chegar na primeira quinzena de dezembro, com 15,2 milhões de doses, e o segundo terá o mesmo número de aplicações e chega entre dezembro em janeiro. O terceiro lote, de 70 milhões de doses, chega entre março e abril”,  informou Medeiros à CNN.

O primeiros grupos que receberão a vacina serão idosos, profissionais da saúde que atuam na linha de frente e pessoas com comorbidades. De acordo com o secretário, o Ministério da Saúde já trabalha para desenvolver uma estratégia de aplicação das vacinas de modo a evitar pânico e tumulto por parte da população.

O secretário ainda ressaltou que o Brasil poderá produzir a vacina em território nacional, no laboratório de Bio Manguinhos, da Fiocruz. A possibilidade surgiu a partir de um acordo entre o governo brasileiro e a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) com a Universidade de Oxford e a AstraZeneca – laboratório responsável pelo desenvolvimento da vacina.
Informações: EM por Paulo Santana – Foto: divulgação
0
Rodrigo Kawasaki

Rodrigo Kawasaki

Editor-chefe da Público A.