Doenças da circulação: quais os impactos da alimentação para evitar o aparecimento desse problema

Compartilhe Essa notícia

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on twitter
Share on email

Dr. Victor Hugo recomenda o consumo de alimentos naturais e com baixa quantidade de açúcar

Responsáveis por transportar o sangue, as circulações arterial e venosa possuem diferentes funções e são responsáveis também por doenças distintas. A circulação arterial leva sangue e oxigênio às pernas, enquanto a venosa ajuda a levar o sangue de volta para o coração.

Quando complicações passam a acontecer, o sistema venoso é o encarregado por problemas como dilatações, responsáveis pelas varizes, veias tortuosas, dilatadas e alongadas, que perdem a capacidade de levar o sangue de volta da perna ao coração. Já as complicações com artérias geralmente estão atreladas a pacientes fumantes, com pressão alta, diabéticos, obesos e sedentários.

Mesmo que na maioria das vezes as varizes tenham origem na hereditariedade, existem outros fatores de risco que podem influenciar no surgimento delas, como o sedentarismo e a obesidade.

De forma geral, não há grandes evidências sobre a relação entre alimentação e varizes, mas uma alimentação mais saudável pode ajudar a prevenir a obesidade, que é uma das causas.

“Não existe nenhuma forte evidência científica que relacione algum alimento ao surgimento de varizes, entretanto, a obesidade e o sedentarismo são fatores de risco, por isso é ideal uma dieta balanceada e a prática regular de exercícios físicos”, pontua Dr. Victor Hugo, angiologista especializado no tratamento de varizes com procedimentos minimamente invasivos.

Para evitar essas complicações, é importante ter uma rotina ativa de atividades físicas somadas a uma boa alimentação, principalmente alimentos naturais, como frutas, verduras, com baixa quantidade de açúcar e baixa quantidade de gordura saturada, como  as frituras. Dessa forma, a alimentação contribui para o bom funcionamento da circulação.

Dr. Victor Hugo lembra também da importância do consumo Ômega 3, presente em peixes, castanhas e linhaça; pois são gorduras de boa qualidade que ajudam no colesterol bom.

Além disso há a Vitamina C, presentes em morango, acerola, laranja, limão e brócolis; importante para fortalecer o sistema imunológico e ajudar a combater infecções, gripes e resfriados, possuindo também potencial antioxidante.

Também é interessante incluir na dieta alimentos ricos em quercitina, como cebola e maçã; pois possuem alto nível antioxidante e anti-inflamatório.

Fibras alimentares também fazem diferença em uma dieta, ajudando a diminuir o colesterol e glicemia do organismo. Elas podem ser encontradas como frutas, verduras, grãos e cereais.

Além disso, é importante não consumir comidas com grande quantidade de sódio. De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), o recomendado é ingerir até 5 gramas por dia (equivalente a 2 mg de sódio), devido à relação com o aumento da pressão arterial. Alimentos instantâneos e industrializados também devem ser evitados, uma vez que possuem relação com o surgimento de doenças como hipertensão, obesidade e diabetes.

Sobre o Dr. Victor Hugo

Formado como cirurgião vascular pela Universidade Federal do Ceará e com mestrado em tecnologias minimamente invasivas, Victor Hugo é médico angiologista e empresário, tendo inaugurado há 6 meses, em Fortaleza, a clínica VHG, localizada na torre empresarial do Shopping Riomar Fortaleza, no Papicu. Para conhecer mais da clínica e os procedimentos utilizados basta acessar o site https://victorhugovascular.com.br/.

Foto: divulgação

0
Rodrigo Kawasaki

Rodrigo Kawasaki

Editor-chefe da Público A.