Secretaria da Saúde detalha ações de combate à pandemia

Compartilhe Essa notícia

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on twitter
Share on email

O secretário da Saúde do Ceará, Carlos Roberto Martins Rodrigues Sobrinho (Dr. Cabeto), conversou com jornalistas na manhã desta sexta-feira (22) sobre o cenário epidemiológico do coronavírus no Estado. Durante a videoconferência, que contou com profissionais de diversos veículos de comunicação, o gestou destacou as ações de enfrentamento à Covid-19 no território cearense e a transparência na divulgação de dados.

“O isolamento, para além de toda a polêmica, tem conseguido deixar o Ceará em uma situação menos dolorosa. Ele tem mostrado, a cada momento, uma redução do número de pessoas contaminadas e tem feito que o sistema de saúde consiga minimamente responder”, ressaltou o secretário.

Até a última quinta-feira (21), o Ceará registrou 31.413 casos de Covid-19. Ao todo, 19.069 pessoas diagnosticadas com a doença estão recuperadas. “Tenho certeza que sairemos melhores dessa crise. As pessoas verão, no dia a dia, o acesso à saúde, melhorias no atendimento e humanização. Estamos focados no cuidado e teremos uma saúde melhor para os cearenses”, pontuou o gestor.

Desde o início da pandemia, cerca de 80 mil exames, entre testes de biologia molecular e testes rápidos, já foram realizados no Ceará. Na avaliação do secretário da Saúde, a ampliação progressiva da testagem permite identificar, de maneira precisa, a transmissão do vírus entre os municípios cearenses.

Dr. Cabeto detalhou, ainda, o projeto que está sendo desenvolvido pela Secretaria da Saúde do Ceará (Sesa) em parceria com a Secretaria Municipal de Saúde de Fortaleza (SMS) para intensificar a testagem da população. “Nós vamos fazer o que a gente chama de inquérito sorológico, usando o teste rápido e, evidentemente, associado ao exame de RT-PCR, que vê o vírus ativo. Então, nós vamos ter uma ideia pra passar pra sociedade quantas pessoas já tiveram a doença, quantas já ficaram imunizadas e quantas têm a infecção ativa”, explicou.

Flexibilização do isolamento

Além de ressaltar a importância do distanciamento e do isolamento social, o secretário falou sobre a flexibilização das medidas, que será feita de forma adequada, conforme o cenário epidemiológico do Estado. “Sobre a flexibilização do isolamento, será muito prudente e seguindo critérios claros. Existe uma equipe da Secretaria de Desenvolvimento Econômico, da Secretaria da Saúde e representantes da sociedade construindo essa modelagem para apresentar à sociedade. Temos exemplos de outros países que fizeram abertura e tiveram surtos. Então, vamos fazer de maneira responsável, utilizando a ciência e aumentando a testagem”, pontuou o gestor.

A coletiva contou com a participação das secretárias executivas de Vigilância e Regulação, Magda Moura de Almeida, e de Atenção à Saúde e Desenvolvimento Regional, Josenília Maria Alves Gomes. Na videoconferência, o secretário evidenciou os resultados positivos da Regionalização da Saúde do Estado.

“Nos hospitais regionais, recebemos pacientes mais graves. Já nos hospitais-polo, estamos equipando novas UTIs. É preciso reconhecer o esforço que os municípios fizeram em meio à pandemia. Eles estão sendo assessorados e tendo o suporte do Estado para os cidadãos que estão no interior terem acesso à saúde de qualidade. Além desse apoio, o Estado está distribuindo EPIs para todos os municípios cearenses”.

Transparência

Pela primeira vez, o Estado do Ceará atingiu a marca de 100 pontos no ranking de transparência da Covid-19 no Brasil. A avaliação é da Open Knowledge Brasil (OKBR), que checa os dados e informações publicados por cada estado brasileiro sobre a pandemia de coronavírus. A OKBR avaliou o IntegraSUS, plataforma de transparência da Secretaria da Saúde do Ceará.

O ranking é atualizado semanalmente, às quintas-feiras. Conforme o último boletim, o Ceará subiu de 95 para 100 pontos ao informar a quantidade de testes disponíveis. “Em momentos de muita polêmica, de muitas dúvidas, de uma politização inadequada do processo e de muitas fake news, é preciso cada vez mais estabelecer transparência. O nosso lema na Saúde é cuidar. Eu gostaria de ter o apoio de todos aqueles que se sentem responsáveis pelo cuidado”, finalizou dr. Cabeto.

Martina Dieb e Diego Sombra – Texto
Ascom Sesa – Foto

0
Rodrigo Kawasaki

Rodrigo Kawasaki

Editor-chefe da Público A.