Instituição de psicologia lança cartilha que traz orientações sobre os cuidados paliativos

Compartilhe Essa notícia

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on twitter
Share on email

As dificuldades que as famílias e cuidadores enfrentam para dar assistência àqueles que possuem uma doença que ameace a continuidade da vida, os chamados cuidados paliativos, motivaram uma instituição de psicologia a criar uma cartilha que busca orientar a respeito do tema.

A Escutha Psi, instituição referência em educação continuada para os cuidados em saúde, juntamente com a Editora UECE, lançou a cartilha  “Cuidados paliativos: construindo uma diálogo sobre cuidados” totalmente gratuita e disponível no escutha.com.br.

A cartilha aborda informações a respeito dos cuidados físicos, mentais, sociais e espirituais com paciente, além de diversas orientações para os familiares e cuidadores. O material educativo usa uma linguagem simples e ilustrações que ajudam a compreender melhor a abordagem. Pode ser utilizada, inclusive, pela equipe de saúde para tratar de maneira mais simples uma temática tão complexa. A  autoria da  publicação é da diretora da Escutha Psi, Fernanda Lopes; da supervisora pedagógica da Escutha Psi, Juliana Vieira, e da médica e professora da Escutha Psi, Carla Bezerra Lopes.

A diretora da Escutha Psi, Fernanda Lopes, explica que cuidar da saúde significa olhar para pessoa como um todo. “Precisamos entender que o foco não é somente na doença em si (aspecto físico), mas também na forma como cada um vive essa experiência (aspecto psicológico), na maneira como ela se expressa, variando conforme a idade, cultura, situação financeira e familiar (aspecto social), bem como no sentido de vida, crenças e valores dos envolvidos (aspecto espiritual). O foco é nas pessoas em sua integralidade”, ressaltou.

Sobre os cuidados paliativos, Fernanda Lopes ainda esclarece que “São cuidados holísticos, ofertados a pessoas de todas as idades, que encontram-se com doenças que ameacem a vida. Deve iniciar o mais precocemente possível, a partir do diagnóstico dessas doenças. Seu objetivo é melhorar a qualidade de vida dos pacientes, familiares e cuidadores”, complementou.

A supervisora pedagógica da Escutha Psi, Juliana Vieira, acredita que a cartilha é uma forma das pessoas entenderem melhor sobre a importância dos cuidados paliativos e não terem medo do tema. “As pessoas se assustam quando o termo ‘cuidado paliativo’ é utilizado, pois entendem que estamos falando de um cuidado mal feito ou que o paciente está morrendo. Mas essa ideia de que “não há mais nada para fazer” e de que “a morte está próxima” está errada! Temos muito o que fazer, durante todo o tempo de cuidado necessário, que pode durar dias, meses ou anos. Você vai poder entender melhor a atuação dos cuidados paliativos nessa leitura”, afirmou.

A professora da Escutha Psi, Carla Bezerra Lopes, explica que os cuidados paliativos foram criados na tentativa de proteger as pessoas.”Depois do avanço da tecnologia, a nossa cultura valoriza principalmente a cura do físico, esquecendo que tem outras coisas que também são importantes e que precisam ser cuidadas. Além disso, os Cuidados Paliativos nos ensinam que a vida é muito mais do que o batimento do coração ou o cérebro funcionando, porque a pessoa é um ser integral”, pontuou. 

Sobre as autoras:

Fernanda Gomes Lopes (CRP 05/60578) é psicóloga hospitalar e professora, além de sócia fundadora e diretora da Escutha Psicologia e Saúde. Atualmente a autora mora no Rio de Janeiro e é Doutoranda em Ética, Bioética e Saúde Pública pela Fundação Oswaldo Cruz (FioCruz). Fernanda é Mestre em Cuidados Continuados e Paliativos pela Universidade de Coimbra, reconhecido pela Universidade Federal do Rio de Janeiro, além de especialista em Psicologia da Saúde pelo Conselho Regional de Psicologia do Ceará.

Maria Juliana Vieira (CRP 11/09320) é psicóloga clínica e hospitalar, bem como supervisora pedagógica da Escutha Psicologia e Saúde. Maria Juliana também é mestre em psicologia pela Universidade Federal do Ceará, especialista em pediatria pelo programa de Residência Integrada em Saúde da Escola de Saúde Pública do Ceará em parceria com o Hospital Infantil Albert Sabin. Também é especialista em Psicologia da Saúde pelo Conselho Regional de Psicologia e autora do livro “Uma escuta ética do cuidado na morte e no morrer”.

Carla Bezerra Lopes Almeida (CRM 11932) é médica e geriatra pela Universidade Federal de São Paulo. Carla Bezerra também é  mestre em Tecnologia da Saúde pela Universidade Federal de São Paulo,  Titulada em Geriatra (Sociedade Brasileira de Geriatria e Gerontologia). A média possui experiência na àrea de atuação em Medicina Paliativa (Associação Médica Brasileira), além de ser professora da Escutha Psicologia e Saúde.

Foto: divulgação

 

 

 

 

0
Rodrigo Kawasaki

Rodrigo Kawasaki

Editor-chefe da Público A.