[PÚBLICO A ECONOMIA] Pix ultrapassa 1 trilhão em transações e banco Cactvs cria novas ferramentas para auxiliar microempreendedores

Compartilhe Essa notícia

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on twitter
Share on email

De acordo com o Banco Central do Brasil, foram R$ 307 bilhões em transações via Pix em abril, com 478,6 milhões de operações.

Lançado há seis meses pelo Banco Central do Brasil, o Pix – sistema de pagamento instantâneo – ultrapassou a marca de 1 trilhão em transações entre pessoas físicas ou jurídicas. O cadastro e a forma de pagamento e recebimentos tornou-se rotina entre os brasileiros.

Até o mês passado, 197,8 milhões de chaves foram registradas. O número representa 75,6 milhões de famílias. Com relação às pessoas jurídicas, foram 8,8 milhões de chaves para 5,4 milhões de empresas.

De acordo com o BC, a maior parte das chaves registradas são os CPFs dos titulares, com 72,5 milhões de cadastros. Logo em seguida, as chaves são de números aleatórios (68,8 milhões), números telefônicos (51 milhões), e-mails (33,7 milhões) e CNPJs (4,7 milhões). Segundo o Banco Central do Brasil, nesses seis meses, o valor médio de um Pix é de R$ 717.

Microempreendedores

Muitos microempreendedores tiveram dificuldades em aderir ao novo formato de pagamento com a tecnologia Pix por falta de conhecimento. Para a diretora do banco digital Cactvs, o Pix pode ser um grande aliado aos pequenos empresários, pois facilita as transações financeiras de maneira imediata e segura. A executiva explica que não há motivos para adiar a adesão à ferramenta de pagamento instantâneo.

“É muito importante para os microempreendedores poderem aderir aos pagamentos feitos por Pix. Além das facilidades, isso representa uma revolução ao acesso e um aumento significativo da capilarização de recursos nos comércios e varejos locais”, disse Nathália Queiroz, diretora de marketing e sócia-fundadora da Cactvs.

De acordo com Nathália Queiroz, a instituição traz uma novidade que ajudará esses pequenos empresários, com a chegada do Kit QR Code. O banco fornece, sem qualquer custo, crachá, display e adesivo que colocam qualquer negócio e qualquer empreendedor dentro do novo formato de pagamento.

Segundo a executiva, para receber pelo PIX, basta o cliente apontar a câmera do celular para o QR Code do empreendedor fornecido pela Cactvs. O dinheiro cai imediatamente na conta digital do microempreendedor no banco Cactvs, vindo de qualquer outra instituição financeira.

“Os kits QR Code, como batizamos por aqui, chegam aos microempreendedores por meio dos nossos agentes na hora da abertura da conta, e vão com um display, adesivo e crachá impressos com o código personalizado de cada conta. Assim que é entregue, ele se transforma em uma ferramenta de trabalho, facilitando a vida e a forma de receber, pois podem ser colocados nas mesas, balcões e até acompanhar vendedores ambulantes”, explica a diretora.

Novas ferramentas

No mês de maio, os empreendedores clientes da Cactvs contam com mais uma inovação digital. É a maquininha PIX – já habilitada no modo débito – que serve para receber os pagamentos de forma instantânea, com cobrança de apenas 0,5% por transação.

Sobre a Cactvs

A Cactvs é uma instituição financeira completa dedicada a promover o crescimento do microempreendedor. Com o objetivo de simplificar a vida do varejista e dos profissionais autônomos, reúne todas as funcionalidades de uma instituição financeira em um único aplicativo: conta digital, maquininha, cartão Elo, PIX e contratação de produtos e serviços. Além disso, oferece suporte na educação financeira e estimula seus clientes a ganharem autonomia digital, com agentes de microfinanças disponíveis para orientar no uso de tecnologias por parte dos microempreendedores.

Foto: divulgação

Rodrigo Kawasaki

Rodrigo Kawasaki

Editor-chefe da Público A.