[PÚBLICO A EVENTOS] Grupo Mulheres do Brasil lança projeto financeiro voltado para egressas em processo de liberação e reinserção social

Compartilhe Essa notícia

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on twitter
Share on email

O Grupo Mulheres do Brasil Fortaleza lança, no próximo dia 14 de setembro, às 8h30, no hotel Blue Tree Towers, o projeto “Vozes da Liberdade”. Com o objetivo de apoiar egressas em processo de liberação e reinserção social, a iniciativa é financiada pelo Fundo Dona de Mim, ação que tem como objetivo impulsionar microempreendedoras individuais (MEI) impactadas pela crise econômica e social provocada pela pandemia da COVID-19.

O lançamento contará com a presença da presidente do Fundo Dona de Mim, Sônia Hess; das líderes locais Annette de Castro, Vera Lima e Ethel Whitehurst; além das instituições parceiras que apoiam a execução do Projeto Vozes da Liberdade. A ação também conta com a participação dos Comitês do Grupo Mulheres do Brasil Fortaleza, sob a liderança das voluntárias Aline Miranda, líder do Comitê Cultura de Paz e Defensora Pública do Ceará; a empresária Ethel Whitehurst, líder do Comitê Artesanato; e Vera Lima, empresária e líder do Comitê de Empreendedorismo e Vozes.

Sobre o Projeto Vozes da Liberdade

Inicialmente, o projeto se destina à 10 egressas do presídio feminino, por meio do acesso ao microcrédito. As ações desenvolvidas pelo projeto Vozes da Liberdade prevê a formação de grupos de até cinco mulheres que fazem parte do Programa Um Novo Tempo do Poder Judiciário, que receberá R$ 2.000 de empréstimo, além de orientação sobre Gestão Financeira, práticas socioemocionais e aprimoramento técnico. Esses elementos deverão servir de incentivo inicial para produzir peças exclusivas criadas pelo designer Erico Gondim. Com o trabalho de curadoria de Ethel Whitehurst, as peças produzidas serão disponibilizadas pelo E-Commerce – Terrartesã.

Sobre o Grupo Mulheres do Brasil

O Grupo Mulheres do Brasil foi criado em 2013 por 40 mulheres de diferentes segmentos com o intuito de engajar a sociedade civil na conquista de melhorias para o país. Composto por mais de 95 mil mulheres oriundas de vários segmentos, organizadas em núcleos espalhados em todo o Brasil e em alguns países do mundo, o grupo tem como propósito construir um Brasil melhor a partir do protagonismo feminino. Trabalha ativamente em conjunto com outras organizações e engajando suas integrantes para discutir, propor e realizar ações em temas ligados à educação, empreendedorismo, igualdade de gênero e racial, combate à violência contra a mulher e outros temas de interesse social. Tem uma agenda propositiva com planos de ação para pensar e agir focando no todo, por um país melhor. O grupo é suprapartidário, levanta a bandeira de uma causa: o Brasil.

Foto: divulgação

Rodrigo Kawasaki

Rodrigo Kawasaki

Editor-chefe da Público A.