[PÚBLICO A EVENTOS] Sesc realiza intervenção artística em alusão ao Setembro Amarelo

Compartilhe Essa notícia

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on twitter
Share on email

Campanha de conscientização leva mensagens de apoio para fila de vacinação do Shopping RioMar Fortaleza 

Saúde mental é um estado de bem-estar em que a pessoa é capaz de usar suas próprias habilidades, recuperar-se do estresse rotineiro, ser produtivo e contribuir com a comunidade, de acordo com definição da Organização Mundial da Saúde (OMS). Durante a pandemia, essa foi uma das situações mais afetadas em decorrência das restrições impostas pela Covid-19.

Como resultado dessa instabilidade emocional, segundo o estudo One Year of Covid-19, realizado pela Ipsos para o Fórum Econômico Mundial com 30 países, 53% dos brasileiros declararam que seu bem-estar mental piorou um pouco ou muito no último ano.

Para conscientizar a população sobre a importância dos cuidados com a saúde mental, em destaque a prevenção ao suicídio, o Sesc Fortaleza promove uma série de intervenções que unem educação em saúde e arte. A programação faz parte da Campanha Setembro Amarelo – Valorização da vida prevenção ao suicídio, realizada pelo programa de Educação em Saúde, que acontece nos dias 15, 16 e 18 de setembro.

Em parceria com o Metrofor, a equipe do Sesc Fortaleza realiza uma intervenção com o artista Apolinário Alves, conhecido como Chaplin Cearense, entregando cartas e mensagens de apoio, assim como material informativo, nesta quarta e quinta-feira, 15 e 16, nas estações José de Alencar, Parangaba, Papicu e Conjunto Esperança, assim como dentro dos trens.

Nos dias 16 e 18 de setembro, a atividade acontece no Shopping RioMar Fortaleza durante a vacinação contra a Covid-19 com as pessoas que aguardam na fila. A ação acontece em parceria com a Secretaria Municipal de Saúde. Segundo Marília Bessa, enfermeira do Sesc Fortaleza, a intervenção pretende sensibilizar a população para explicar melhor os sintomas de agravamento da saúde mental e também como buscar ajuda. “Precisamos orientar as pessoas esse grave problema que pode atingir a qualquer um de nós, voltando o olhar para o outro. Seja em casa ou no trabalho, podemos ajudar com uma palavra de apoio ou uma orientação profissional nessa luta pela prevenção do suicídio”, afirma.

Falar é a melhor solução 

Pedir ajuda ou procurar um atendimento com profissional especializado podem contribuir para melhorar o estado emocional. O Centro de Valorização da Vida (CVV), por meio do telefone 188, é um canal permanente de apoio. Além disso, em caso de tentativas de suicídio tanto o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), pelo telefone 192, ou o Corpo de Bombeiros, pelo 193, devem ser acionados.

Mais informações: (85) 3270-5400

Foto: shutterstock

 

 

 

Rodrigo Kawasaki

Rodrigo Kawasaki

Editor-chefe da Público A.