[PÚBLICO A POLÍTICA] Assembleia aprova subsídio que evita aumento da passagem de ônibus na Capital em 2021

Compartilhe Essa notícia

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on twitter
Share on email

Nove projetos de lei, 12 de indicação, e um projeto de resolução da Mesa Diretora foram aprovados durante a sessão plenária realizada de forma híbrida –  – presencial e remota – na manhã desta quinta-feira (20/05) na Assembleia Legislativa.

O projeto de lei de autoria do Poder Executivo 62/21 autoriza ação compartilhada entre o Estado do Ceará e Município de Fortaleza para, por meio de uma concessão de subsídio ao setor, evitar o aumento da tarifa cobrada ao usuário de transporte coletivo urbano da Capital este ano. A proposta tem uma emenda aditiva do deputado Renato Roseno (Psol).

Já o 61/21, do Governo do Estado, acresce dispositivos à lei 9.826 de 14 de maio de 1974, deixando expressas no estatuto dos Servidores Estaduais regras dispondo sobre a interrupção e a suspensão da prescrição de infrações disciplinares cometidas no serviço público estadual, conferindo à matéria tratamento semelhante ao previsto para os servidores federais. O projeto foi aprovado com uma aditiva deputado Renato Roseno e uma modificativa do deputado Júlio César Filho (PDT).

O projeto de número 63/21 altera a Lei n.o 17.388, de 26 de fevereiro de 2021, que dispõe sobre a denominação do cargo, a carreira e a estrutura remuneratória dos servidores públicos regidos pela Lei n.o 14.582. A proposta garante a vigência imediata da lei que alterou a denominação de agente penitenciário para policial judiciário. A lei original só iria vigorar em 2022.

O projeto Resolução da Mesa Diretora 08/2021, por sua vez, altera dispositivos da Resolução n.o 698, de 31 de outubro de 2019, que trata da estrutura administrativa da Assembleia Legislativa do Estado do Ceará. A proposição tem por objetivo a criação do Centro Inclusivo para Atendimento e Desenvolvimento Infantil, o qual será um espaço transdisciplinar especializado no atendimento de crianças com Transtorno do Espectro Autista (TEA) e com síndrome de Down.

A resolução prevê ainda a ampliação dos serviços de saúde ofertados pela Assembleia Legislativa, por meio do Departamento de Saúde e Assistência Social, a partir da criação da Célula de Psicopedagogia, visando aprimorar o desempenho de crianças, adolescentes e adultos, a partir da identificação de dificuldades e falhas no processo de ensino.

Foram aprovados ainda seis projetos de lei de parlamentares. O projeto de lei 228/19, de autoria do deputado Elmano Freitas (PT), que proíbe o uso, no estado do Ceará, de produtos, materiais, ou artefatos que contenham quaisquer tipos de amianto ou asbesto ou outros minerais que, acidentalmente, tenham fibras de amianto em sua composição.

246/19, do deputado Romeu Aldigueri (PDT), permite o livre trânsito de animais de pequeno porte e de cães-guia em locais privados acessíveis ao público em geral e de grande circulação, e em toda a rede de transporte coletivo público e privado no Estado do Ceará.  Já o 581/19, do deputado Carlos Felipe (PCdoB), torna obrigatório o registro de violência contra a pessoa idosa no prontuário de atendimento médico. A matéria conta com emenda supressiva do deputado Júlio César Filho (Cidadania).

A deputada Fernanda Pessoa (PSDB) é autora do 615/19, que concede o Título de Cidadão Cearense a Carlos Manuel Resende de Oliveira; enquanto o deputado Sérgio Aguiar (PDT), é autor do 679/2019, que denomina Marino Araújo Monteiro a Areninha de Jijoca de Jericoacoara.

Foi aprovado ainda o 289/20, da deputada Dra. Silvana (PL), que considera de utilidade pública a Entidade Pepe-Massangana, com sede no município de Itaitinga.

Entre os projetos de indicação aprovados, o 198/19 dispõe sobre a criação do Colégio Militar do Estado do Ceará, na cidade de Iguatu. A proposta é de autoria dos deputados Marcos Sobreira (PDT) e Nizo Costa (PSB).

O deputado Tony Brito (Pros) é autor de três dos projetos: o  270/19, trata da isenção da cobrança do Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores (IPVA), e Isenção do pagamento de Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS), na compra de veículos novos por profissionais de segurança pública; o 336/19 beneficia motoristas que não têm pontuação negativa em suas carteiras descontos no pagamento do IPVA e o 145/20 propõe a instituição do programa Princípios Fundamentais de Educação Financeira nas escolas da rede pública de ensino do Estado.

O PI 444/19, do deputado Leonardo Pinheiro (Progressistas), dispõe sobre a responsabilidade do Poder Público Estadual de incluir em processo licitatório a instalação de painéis fotovoltaicos e demais itens necessários à sua utilização, em todas as edificações viáveis pertencentes à administração pública do Estado do Ceará; o 33/20, do deputado Salmito (PDT), propõe a estadualização da estrada que liga o Distrito de Serra do Félix a BR 116, no município de Beberibe; o 73/20, do deputado Walter Cavalcante (MDB), sugere a aquisição e distribuição de cestas básicas pelo governo do estado às famílias carentes inscritas no Cadúnico com membros diagnosticados com a covid-19.

O deputado Nelinho (PSDB) é autor do 114/20, que sugere ao Poder Executivo a celebração de convênios com hospitais universitários e clínicas veterinárias para tratamento de animais em situação de abandono no Estado do Ceará. O 130/20, do deputado Queiroz Filho (PDT), sugere modificações na lei que define os critérios para distribuição da parcela de receita  do produto e arrecadação do ICMS de transporte interestadual e intermunicipal e de comunicação pertencentes aos municípios.

Já o 140/20, do deputado Carlos Felipe (PCdoB) dispõe sobre a criação na delegacia de combate à exploração da criança e do adolescente (CDECA) em Crateús; da mesma forma, o 148/20, do deputado David Durand (Republicanos), propõe a criação de uma Cdeca em Maracanaú. O 136/21, do deputado Romeu Aldigueri (PDT), propõe inclusão dos profissionais do Sistema Único de Assistência Social (SUAS) no grupo prioritário do plano estadual de vacinação contra a covid-19.

Os projetos de indicação, por se tratar de sugestão, cabe Governo do Estado, se acatar, enviar mensagem para deliberação da Assembleia.

Fonte: AL/CE – Foto: Dário Gabriel

Rodrigo Kawasaki

Rodrigo Kawasaki

Editor-chefe da Público A.