[PÚBLICO A SAÚDE] Distrimédica dá dicas de como abrir o primeiro consultório odontológico

Compartilhe Essa notícia

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on twitter
Share on email

Abrir o próprio consultório é um passo importante na carreira de um profissional de saúde e os empreendimentos odontológicos têm ganhado cada vez mais espaço nesse contexto. Segundo o Conselho Federal de Odontologia (CFO), esse mercado movimenta cerca de R$ 38 bilhões por ano no Brasil. Airton Silveira, diretor da Distrimédica, empresa referência no Nordeste em produtos odontológicos e hospitalares, ressalta que é importante fazer um bom planejamento e investimento para minimizar a chance de erro na hora de abrir um consultório.

A localização é um dos primeiros pontos a se levar em consideração. Ter uma boa visibilidade para os clientes é fundamental na hora de começar o próprio negócio. “Procure saber como o bairro opera em relação ao funcionamento comercial e qual o perfil das pessoas que moram ou trabalham perto. Também é interessante verificar possíveis concorrentes que possam atuar em regiões próximas”, afirma Airton.

Em questão de equipamentos, um bom investimento é primordial para apresentar a melhor infraestrutura para o atendimento e o aprimoramento do diagnóstico clínico aos pacientes. Airton explica que alguns equipamentos são essenciais de início. “Um dos mais comuns é o “consultório odontológico”, que envolve uma série de itens obrigatórios e básicos que são necessários para a atuação do profissional, por exemplo a cadeira com regulagem, uma mesa de equipamentos que fica ao lado do dentista e os refletores que apoiam a visão do profissional no campo de operação”, detalha.

Airton ainda reforça a importância da legalização do consultório, algo necessário para não haver irregularidades ao realizar os serviços. “Fazer a regulamentação é muito fácil, basta o profissional ir até a prefeitura da cidade e se cadastrar no registro de profissional autônomo, além disso, se inscrever no INSS, ter o alvará de funcionamento da Vigilância Sanitária e do Corpo de Bombeiros e tenha uma empresa que faça o recolhimento dos resíduos”. afirma.

Mesmo com todas essas dicas, é indispensável a consulta ao Conselho Regional de Odontologia de cada município, já que cada região apresenta particularidades próprias neste assunto.

Sobre a Distrimédica

Fundada em 2013, no Ceará, a Distrimédica possui o compromisso de distribuir medicamentos e produtos médicos, odontológicos, cirúrgicos e hospitalares. Com distribuição direta no Ceará, Maranhão, Piauí, Rio Grande do Norte, Paraíba e Pernambuco, a empresa oferece, ao mercado e aos profissionais da saúde, excelência, agilidade, credibilidade, segurança e inovação.

Foto: divulgação

 

 

 

Rodrigo Kawasaki

Rodrigo Kawasaki

Editor-chefe da Público A.