Pesquisar
Close this search box.
Pesquisar
Close this search box.
Pesquisar
Close this search box.

[PUBLICOA GOURMET] Novos restaurantes com Estrela brilham na seleção do Guia MICHELIN Rio de Janeiro e São Paulo 2024; conheça os premiados

Compartilhe Essa notícia

pós uma pausa de três anos no Brasil, o Guia MICHELIN apresenta a nova seleção de restaurantes do Rio de Janeiro e São Paulo. Oficialmente revelada em uma cerimônia realizada no icônico hotel Copacabana Palace e patrocinada pela cidade do Rio de Janeiro, a edição 2024 recomenda um total de 140 restaurantes, dos quais 60 foram recém-incorporados à seleção.

Este lançamento distingue seis restaurantes com duas Estrelas MICHELIN (três novos estabelecimentos) e quinze com uma Estrela (sete novidades). Também apresenta 37 restaurantes Bib Gourmand (doze novidades) e entrega três Estrelas Verdes, sendo esta a primeira vez que este reconhecimento pela sustentabilidade na gastronomia aparece no Brasil.

Guia MICHELIN Rio de Janeiro e São Paulo 2024 em um breve resumo:

  • 6 restaurantes com duas Estrelas MICHELIN (3 novidades);

  • 15 restaurantes com uma Estrela MICHELIN (7 novidades);

  • 3 restaurantes Estrela Verde (3 novidades);

  • 37 restaurantes Bib Gourmands (12 novidades);

  • 82 restaurantes Recomendados pela qualidade da cozinha (38 novidades).

Quer descobrir os premiados?

Spaghetti al ragù do restaurante Evvai © luizfilipe/Instagram

Três restaurantes conquistam duas Estrelas MICHELIN pela primeira vez

O Guia MICHELIN Rio de Janeiro e São Paulo 2024 eleva o número de restaurantes distinguidos com duas Estrelas MICHELIN a um total de seis estabelecimentos e, assim, dobra a quantidade de locais no Brasil com este reconhecimento.

Evvai, São Paulo

O Evvai é um microcosmo que reúne todo o universo interior do chef Luiz Filipe Souza: reflete sua paixão pela comida, pela vida, pela arte e pela natureza. A proposta equilibrada, apresentada em um único menu degustação com pratos coloridos e saborosos, revela uma fusão de influências brasileiras e italianas que conquista os paladares mais exigentes. A destreza demonstrada em cada elaboração é a prova de que estamos diante de um chef tremendamente criativo e com pleno domínio das técnicas culinárias.

Lasai, Rio de Janeiro

Uma visita ao Lasai, que conta com apenas 10 lugares, é como assistir a um teatro no qual a cozinha é a grande protagonista. O chef Rafa Costa e Silva interage constantemente com os clientes por meio de um menu degustação surpresa e de cunho moderno. Ele começa com uma variedade de aperitivos e inclui pratos vegetarianos excepcionais, preparados a partir de ingredientes orgânicos e sazonais das hortas que o local possui no Itanhangá e no Vale das Videiras.

Tuju, São Paulo

No novo Tuju, tudo foi projetado por e para a gastronomia! O espaço de três andares foi redesenhado para enriquecer a experiência culinária: no térreo, o cliente desfruta dos aperitivos e conhece a adega; no primeiro andar, descobre o restaurante, que conta com uma impressionante cozinha aberta e rodeada de mesas; no último pavimento, pode relaxar e terminar a noite com chocolate ou um drinque em um bar. O chef Ivan Ralston combina produtos e sabores brasileiros sazonais, especialmente de São Paulo, com as técnicas europeias mais contemporâneas. Definido segundo as condições climáticas de cada estação, o menu degustação reflete o foco do chef em criatividade e pesquisa.

Além dessas três novidades que enriquecem a seleção de duas Estrelas MICHELIN do Brasil, os inspetores ficaram impressionados com a regularidade contínua na hora de oferecer experiências excepcionais do D.O.M. (São Paulo), Oro (Rio de Janeiro) e Oteque (Rio de Janeiro). Todos eles mantiveram suas duas Estrelas MICHELIN.

Um dos niguiris servidos no restaurante San Omakase Room © Tomás Rangel/San Omakase Room

Sete novos restaurantes recebem uma Estrela MICHELIN

O Guia MICHELIN 2024 apresenta sete novos restaurantes com uma Estrela MICHELIN, seis em São Paulo e um no Rio de Janeiro. Com isso, o número total de restaurantes distinguidos com uma Estrela MICHELIN chega a quinze. As sete novidades são:

Fame Osteria, São Paulo

Esse restaurante modesto e discreto, dirigido pelo chef Marco Renzetti, tem uma história fascinante: começou como um bar ilegal antes de se tornar rapidamente um local de peregrinação para os amantes da gastronomia. O menu degustação se baseia na culinária italiana clássica, com maravilhosas massas caseiras (capeletti, canelones, tonnarelli…) e risotos memoráveis. Como particularidade, oferece pratos em que a carne grelhada tem um papel decisivo.

Kazuo, São Paulo

O chef Kazuo Harada embarca os clientes em uma jornada culinária que os leva ao Japão, China, Malásia, Tailândia, Coreia e até mesmo à Índia. Uma das características que o diferencia de outros restaurantes asiáticos da cidade é a capacidade do chef de criar um fio condutor entre os atributos únicos da culinária pan-asiática. Além do cardápio com uma grande variedade de sushis, sashimis, niguiris, makis ou temakis, oferecem um menu omakase no balcão gastronômico.

Kuro, São Paulo

Nesse restaurante japonês, o chef Henry Miyamo defende um menu omakase exclusivo, servido no balcão ao redor da cozinha. Os protagonistas aqui são os sushis grelhados e o fogo: trabalham com um carvão japonês extremamente puro, conhecido como binchotan, que dá um sabor todo especial aos pratos.

Murakami, São Paulo

O extrovertido chef Tsuyoshi Murakami, que comanda o restaurante homônimo, leva os clientes a uma viagem gastronômica por meio de dois menus: “Experiência Sushi”, que ele mesmo elabora; e “Experiência Murakami”, que apresenta uma deliciosa mistura de entradas, sushi, sashimi, tempura e um prato principal de wagyu. Para a sobremesa, os delicados mochis preparados pelo filho do chef proporcionam um final perfeito para a refeição.

Oizumi Sushi, São Paulo

Ao batizar seu restaurante com o nome Oizumi Sushi, o chef Danilo Maciel quis homenagear a cidade japonesa com a maior concentração de imigrantes brasileiros. Aqui, oferece um único menu omakase de 16 pratos, meticulosamente preparado com peixes frescos do dia e outras iguarias que o chef matura no local para garantir o máximo de sabor.

San Omakase Room, Rio de Janeiro

Nesse restaurante intimista, localizado no elegante bairro do Leblon, o chef André Nobuyuki Kawai busca trazer a hospitalidade nipônica à tona, para que, além dos conceitos gastronômicos associados a um menu omakase, o cliente possa descobrir as singularidades da cultura japonesa no atendimento. Os diferentes molhos com que acompanham seus niguiris são surpreendentes!

Tangará Jean-Georges, São Paulo

Localizado no luxuoso hotel Palácio Tangará, o Tangará Jean-Georges é comandado pelo prestigioso chef francês Jean-Georges Vongerichten e gerenciado pelos chefs residentes Filipe Rizzato e Neusi Machado. Oferece uma culinária internacional com pratos contemporâneos que privilegiam a delicadeza e a pureza dos sabores. O cardápio à la carte, com seções específicas dedicadas ao caviar, com pratos crus e opções vegetarianas e veganas, é complementado por dois menus degustação.

Prato do restaurante Tuju com folhas da horta, feijão-de-corda verde e pupunha © Rubens Kato/Tuju

Estreia da Estrela Verde MICHELIN no Brasil

Enquanto as famosas Estrelas na seleção do Guia MICHELIN indicam os restaurantes que oferecem maravilhosas experiências gastronômicas, a Estrela Verde MICHELIN, lançada em 2020, homenageia os estabelecimentos que combinam a excelência culinária com compromissos ecológicos excepcionais. Estes locais são uma fonte de inspiração tanto para os gourmets como para todo o setor da gastronomia.

Pela primeira vez, três restaurantes brasileiros, localizados em São Paulo, receberam a Estrela Verde MICHELIN:

A Casa do Porco

O restaurante controla a cadeia alimentar dos seus produtos desde o campo até o consumidor e cria seus próprios porcos de raça brasileira (Sorocaba, Plau, Canastra, Caruncho e Pereira) com técnicas sustentáveis.

Corrutela

Este estabelecimento trabalha com produtos ecológicos de fornecedores locais, com peixe e carne de origem sustentável, bem como com farinha fabricada em moinho próprio.

Tuju

Além de reciclar, reutilizar as águas pluviais, realizar compostagem e utilizar produtos sazonais de pequenos fornecedores, especialmente do estado de São Paulo, o restaurante criou um centro de pesquisa que visa encontrar e dar visibilidade aos produtores que trabalham de forma justa, ética e sustentável.

Ceviche com palmito pupunha e chips de banana do restaurante Capim Santo ©Mario Rodrigues/Capim Santo

Fonte: Michelin Guide – Foto: Conjunto de pratos do restaurante Ama.zo – Pátio Higienópolis ©Luis Morales/Ama.zo – Pátio Higienópolis

Picture of Rodrigo Kawasaki

Rodrigo Kawasaki

Editor-chefe da Público A.